Publicidade

Publicidade

Rádio Viva Brasil

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Agende já, a consulta do seu Pet, temos profissionais qualificados para lhe atender.

sexta-feira, 26 de março de 2021

Tecnologia em pleno avanço

Moto G100 é lançado com 12 GB de RAM, chip de top de linha e modo PC | Vídeo hands-on

A Motorola decidiu elevar o poder da sua família Moto G e temos agora um celular top com a linha mais popular da empresa aqui no Brasil. Esse é o Moto G100, mas você já deve tê-lo visto anteriormente, sim é o Motorola Edge S lançado na China em janeiro e que agora chega ao resto do mundo como membro da família Moto G.

Ele traz processador veloz, muita memória, tela de 90 Hz, bateria para mais de um dia e muitas câmeras. Será que finalmente temos um Moto G com perfil de flagship? Confira as nossas primeiras impressões neste hands-on do TudoCelular.

Ao bater o olho no Moto G100 é impossível não lembrar do Moto G 5G Plus. Há dois furos para câmeras de selfies no canto esquerdo da tela, além de cooktop quadrado com quatro câmeras na traseira, enquanto o outro tem corpo todo de plástico, este novo traz lateral de metal para dar apelo mais premium.

O modelo que recebemos mistura os tons de verde com roxo para dar um belo efeito furta cor. É um celular com boa qualidade de construção e passa uma sensação de produto mais caro comparado aos demais da linha Moto G.

O logotipo da Motorola continua marcando presença na traseira, mas a empresa já deixou de incluir o leitor biométrico nele. Aqui no G100 temos o sensor na lateral que responde rapidamente ao mais leve toque, ele também serve para acionar atalhos quando você toca duas vezes.

O modelo que recebemos veio com cabo HDMI e suporte para conectar o celular a TVs e monitores. Mas é bom lembrar que o aparelho também é vendido sem estes acessórios. Ambas as versões vêm com carregador de 20W e fone de ouvido na caixa.

O Moto G100 traz tela LCD de 6,7 polegadas com resolução Full HD+ e 90 Hz, essa é a parte um pouco decepcionante: para um aparelho metido a flagship esperávamos um painel AMOLED e 120 Hz. A pior parte está no brilho que fica abaixo de 600 nits, para se ter uma ideia, isso é a média que muitos intermediários entregam, enquanto os top de linha de outras marcas passam dos 1000 nits.

De qualquer forma, a tela do G100 exibe belas imagens com cores vibrantes e bom nível de contraste. É uma tela ampla que passa conforto para assistir filmes, ainda mais por ter padrão 21:9, o mesmo do cinema.

A segunda decepção vai para o som, a Motorola já investiu em intermediários com som estéreo e não faz sentido incluir apenas uma saída de áudio em um aparelho deste porte. É aqui onde a linha Edge se destaca por ter som estéreo, enquanto o G100 está limitado a som mono. A potência sonora poderia ser melhor, falta um pouco de médios, mas os graves estão na medida.

Talvez o que mais chame a atenção no Moto G100 seja o seu hardware interno, ele vem equipado com o Snapdragon 870, que basicamente é uma versão com overclock do Snapdragon 865 que equipou diversos flagships em 2020.

Aliado a isso temos 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento. É nesse ponto que o G100 foge dos intermediários premium e realmente tenta se consolidar como um verdadeiro top de linha. O seu conjunto garante ótimo desempenho aliado ao Android 11 com poucas modificações da Motorola, em benchmarks tivemos pontuação a nível de flagships com Snapdragon 865.

Ter muita memória garante que o aparelho segure muitos apps abertos em segundo plano. Mas veremos como ele se sai em nosso teste de velocidade futuramente (já que a Motorola nunca se destacou em nosso ranking).

Especificações técnicas

Motorola Moto G100
73.97 x 168.38 x 9.69 mm
6.7 polegadas - 2520x1080 px
  • Tela LCD de 6,7 polegadas com resolução Full HD+ e 90 Hz
  • Chipset Snapdragon 870 com CPU octa-core e GPU Adreno 650
  • 12 GB de RAM
  • 256 GB de armazenamento com slot MicroSD para expansão
  • Câmera traseira de 64 MP + 16 MP (ultra-wide) + 2 MP (profundidade) + TOF
  • Câmera frontal de 16 MP + 8 MP (ultra-wide)
  • Bateria de 5.000 mAh com carregamento de 20W
  • Wi-Fi 802.11 ax, Bluetooth 5.1, NFC e entrada P2 para fones
  • Android 11 com suporte ao Ready For
  • Dimensões de 168,38 x 73,97 x 9,69 mm
  • Peso de 207g

A bateria de 5.000 mAh promete entregar autonomia para mais de um dia. Em uso rápido deu para perceber que rende bem, mas veremos como o G100 renderá em nosso teste padronizado em breve. O Motorola Edge Plus tem Snapdragon 865 e mesmo tamanho de bateria e conseguiu passar o dia todo longe de tomadas. Podemos esperar que esse entregue resultado parecido.

A parte de software é igual aos lançamentos recentes da empresa que receberam o Android 11. E isso incluiu o Ready For, a solução rival da Dex da Samsung. Esta não é a primeira vez que a Motorola investe em celular que vira desktop. Lembra do Motorola Atrix lançado lá em 2011?

O Ready For nada mais é do que uma suíte que permite usar o Android em modo desktop quando você conectar o Moto G100 via cabo a um monitor ou TV. É possível ter um ambiente de trabalho com o mouse e teclado conectados via Bluetooth ao celular.

Também é possível explorar a tela maior para jogar, podendo até parear um controle Bluetooth. Testamos com o controle do Xbox que funcionou com alguns jogos, mas não foi possível configurar os botões em alguns games. Talvez um app de terceiro resolva o problema. Veremos isso até a nossa análise completa ir ao ar.

A vantagem do Ready For é que você precisa apenas conectar o cabo e usar, enquanto o Dex tem a vantagem de funcionar sem fio com TVs, mas nem todos podem achar muito prático de configurar. Cada solução tem seus diferenciais e são igualmente interessantes.

Se o hardware do Moto G100 te conquista por ter apelo de flagship, o conjunto de câmeras já tem pegada de intermediário. Na traseira há um sensor de 64 MP comum no segmento médio. Este vem acompanhado de câmera ultra-wide e um para desfoque de fundo. O quarto furo que completa o layout de cooktop é apenas um sensor TOF. Na parte frontal temos uma câmera principal de 16 MP e uma secundária com lente ultra-wide.


A Motorola nunca se destacou em câmera e até mesmo o Edge Plus que chegou por salgados R$ 8 mil foi ofuscado por rivais na mesma faixa de preço. O Moto G100 é capaz de registrar boas fotos, mas não espere por experiência surpreendente. A câmera ultra-wide perde nitidez em troca de maior campo de visão.

Fotografar em locais com pouca luz será complicado com o G100. As fotos saem escuras e granuladas. A ultra-wide perde muitos detalhes e apresenta borrões nos cantos das fotos. A de desfoque deveria fazer um melhor trabalho, já que mesmo com sensor TOF ainda apresenta erros na separação de planos.

A frontal registra boas selfies, mas a ultra-wide captura fotos mais escuras. Pelo menos quebra o galho na hora de tirar uma selfie com a família toda. O efeito de desfoque é ainda mais artificial e apresenta erros bastante visíveis.

O Snapdragon 870 é capaz de filmar em 8K a 30 fps, mas a Motorola decidiu capar o G100 à resolução máxima de 6K, assim como aconteceu com o Edge Plus. Pelo menos ele faz boas filmagens em 4K. O que pode decepcionar mais é a frontal que só grava vídeos em Full HD. Mas há o recurso extra que permite filmar com a traseira e frontal ao mesmo tempo.

O Moto G100 é realmente um top de linha? Lembra do primeiro Pocophone que conquistou o público por ter hardware de top em conjunto de intermediário? Bem, o novo lançamento da Motorola segue nessa linha. Ele chega custando R$ 4 mil na versão sem o cabo HDMI para ligar o celular na TV e sai por R$ 4.099 na versão com o cabo. Vale o preço?

As nossas primeiras impressões foram mistas. Curtimos o hardware, mas esperávamos mais da tela, som e câmeras. Claro que iremos testar o aparelho profundamente para ver se o investimento é válido ou é melhor pegar algum modelo mais antigo da Motorola como o Edge Plus que está com preço similar atualmente.

Enquanto isso, não esquece de comentar sobre o que achou do Moto G100 e também deixe suas dúvidas sobre o aparelho para que sejam respondidas em nossa análise completa. Uma pergunta interessante para você responder aí abaixo é: usaria o modo ready for conectando o celular em uma tela maior ou acha que é um recurso que não faz falta?

O Moto G100 tem preço médio de 4mil, já está disponível nas grandes lojas.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade