Publicidade

Publicidade

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
Agende já, a consulta do seu Pet, temos profissionais qualificados para lhe atender.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Gestão do Menino

Futura secretária de saúde divulga currículo com mestrado e doutorado por entidade não reconhecida pelo MEC

Por Carlos Guerra Junior

A pasta da saúde é uma das que mais geraram expectativas por parte da futura gestão da Prefeitura de Mossoró, já que a cidade vive diversos problemas no setor. Na última quinta-feira (24), o prefeito diplomado Allyson Bezerra anunciou o nome da enfermeira Morgana Dantas para a pasta. Em seu anúncio nas redes sociais, o prefeito diplomado fez questão de enfatizar que se tratava de uma profissional com os títulos de “Doutora em Terapia Intensiva e MBA em gestão em Saúde e Hospitalar”.

Entretanto, alguns títulos da profissional escolhida são questionáveis. Em seu currículo na Plataforma Lattes, Morgana Dantas anuncia que possui Mestrado Profissionalizante em Terapia Intensiva pela Associação Brasileira de Terapia Intensiva (SOBRATI). Em seu currículo no Lattes não há menção ao doutorado, mas no perfil do Linkedin da profissional a referência é a um doutorado em Gestão de UTI na SOBRATI.

Os títulos da SOBRATI não são reconhecidos pelas instituições brasileiras responsáveis pelo reconhecimento dos respectivos diplomas na área da saúde, tais como Conselho Nacional de Educação (CNE), Ministério da Educação (MEC) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Além disso, a SOBRATI é alvo de processos e denúncias públicas de associações e conselhos da área da saúde, por emitir títulos sem validade acadêmica. Em 2013, por exemplo, a Associação de Medicina Intensiva Brasieira (AMIB) entrou com ação contra a SOBRATI e ainda alertou em página no Facebook que o título de especialista em terapia intensiva da SOBRATI “não é reconhecido por nenhum dos conselhos de medicina, enfermagem e fisioterapia”. Confira o link (inserir link: https://m.facebook.com/amiboficial/photos/[nota-de-esclarecimento-%E2%80%93-caso/693463780679684/?locale=pt_BR).

Outra associação que realizou denúncias contra a SOBRATI foi a Associação Médica Brasileira, que conseguiu a nulidade de todos os diplomas emitidos pela SOBRATI, com multa de 100 mil reais em casos de desobediência Confira o link(inserir link: https://amb.org.br/noticias/amb-consegue-na-justica-nulidade-dos-diplomas-da-sobrati/).
O Conselho Federal de Medicina também foi outro órgão a acionar a SOBRATI na justiça, por realizar cursos de medicina sem autorização legal Confira o link (inserir link: http://www.crmac.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21072:cfm-repudia-iniciativa-ilegal-da-sobrati&catid=3).

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Allyson Bezerra e com a profissional. A assessoria foi contatada no início da manhã e afirmou que “estamos verificando essa situação”. Em contrapartida, a secretária escolhida disse:
“Isso me dá os títulos de mestre e doutora profissional e isso está no meu currículo”. A secretária escolhida, no entanto, mostrou ciência que sabe da informação de que esses títulos não possuem validade acadêmica.

O doutorado profissional é uma categoria criada pelo Ministério da Educação em 2017 e institui doutorados que tenham ênfase no mercado de trabalho, diferente do doutorado stricto sensu, que tem ênfase na pesquisa teórica. Ainda assim, os mestrados e doutorados profissionais necessitam de validação do MEC e os cursos da SOBRATI não possuem tal certificação.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade